Identidade literária: Qual livro o define?

dezembro 5, 2014

Tem histórias que parecem que falam de nós e por nós. Alguns autores criam personagens ou situações que nos surpreendem por serem como a um espelho, por vezes nos apresentando a nós mesmos por um angulo ainda inédito, mas que, indubitavelmente, somos.

E não estou falando de livros favoritos, daqueles que nos fazem perder noites de sono, ou aqueles de leitura lenta que nos presenteiam com um imenso prazer. Não estou perguntado por este livro que você gosta e recomenda a todos. Pergunto pelo livro que você é, gostando ou não.

Eu mesma, se fosse falar de meus livros favoritos, talvez escolhesse algum do Jorge Luís Borges ou do Gabriel García Márquez. Mas para falar de mim não preciso nem de um livro inteiro: um pequeno conto foi suficiente para me representar.

Foi lendo um conto de Clarice Lispector, Felicidade Clandestina, que me reconheci. Foi uma epifania saber de mim por aquelas palavras que profundamente me tocaram e continuam a ecoar pela minha vida.

Ler também é uma intensa experiência de auto-conhecimento – por vezes mística, por vezes brutal, por vezes bela, porém sempre única na sua revelação.

E por isso eu pergunto, caro leitor, qual livro o define?

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: