Metamorfose Pensante: 10 anos e alguns pensamentos

dezembro 3, 2013

Metamorfose Pensante 10 anos

Este blog chega aos 10 anos e sua importância para mim vai muito além do que a data sugere. Em 2003 fiz este blog por incentivo de um outro blogueiro, o Anônimo Incógnito, com a frase “por que você não faz um blog? Uma psicóloga deve ter muito para contar.”

Bem, na verdade eu ainda estava no terceiro ano de faculdade e estudava fortemente psicologia social, sobretudo o conceito de identidade descrito por Ciampa. Foram das suas falas sobre mesmice e mesmidade que acabei derivando o nome Metamorfose Pensante. O primeiro post do blog era o meu primeiro poema que foi escrito alguns dias antes e também é fortemente marcado por estes conceitos.

Naqueles dias, blog era algo muito diferente. Sinceramente, não lembro como fazia a divulgação dos textos, mas tinha muitos comentários. Um dos maiores baratos era sair clicando nos sites de quem havia comentado algo, ou na lista de blogs recomendados por outros blogs e ir assim descobrindo um mundo inteiro de palavras e amigos.

Sim, os blogs eram formas de fazer amizades. Era um modo muito diferente de se expor. Era possível falar de sentimentos e pensamentos e encontrar outras pessoas capazes de o entender, construindo relações a partir desse entendimento. Normalmente na vida as relações são invertidas: primeiro conhecemos a pessoa por alguma coincidência e depois, talvez, falamos do que importa.

Sobretudo, foi o blog que me ensinou a escrever, mais especificamente seus comentários. Por favor, continuem me ensinando, ainda tenho muito o que aprender.

Com o passar dos anos muitas coisas foram sendo agregadas. Além desse, tive e tenho outros blogs.

Os maiores ganhos foram absolutamente pessoais. A partir do momento em que escrevemos a forma como olhamos o mundo muda absurdamente. Os acontecimentos e os não acontecimentos passam a ser matéria para a escrita e é como se tivéssemos ligado um narrador na nossa cabeça. Você não é mais a pessoa que apenas responde as ideias dos outros, você passa a criar.

A sensação de transformar uma idéia em uma narrativa é maravilhosa. Escrever é um ato de prazer, mesmo sendo um sofrimento. Vai entender.

É por isso tudo e muito mais que agradeço a você que passa por este blog e me dá a alegria da sua leitura. Por isso digo: enquanto vocês estiverem por ai e eu por aqui, este blog continua.

Obrigada.


%d blogueiros gostam disto: