Calor

entre quatro paredes sufoco
quente muito quente, o sol lá fora entranha-se casa a dentro
esparama-se pela vida
ferve o meu sangue

pulo a janela para ir de encontro ao fogo.

2 respostas para Calor

  1. Eu hoje mesmo tô deixando de sair (já que eu sairia de busão) porque o abafado lá fora é medonho… melhor aguentar aqui mesmo, hehe!

    Marcela, este teu poema (?) me lembrou aquela famosa foto do monge que ateou fogo em si mesmo como protesto, e ficou quieto, em estado meditativo, queimando-se em silêncio…
    acho que a fonte pro seu post deve ter sido bem mais prosaica, mas pensei nessa foto ao ler especialmente a última linha.

    • Marcela Ortolan disse:

      Impactante imagem, Alexandre. Fogo tem muitos significados, né? Por isso acho tão significativo o título do livro do Cotazar “Todos os fogos, o fogo”. Um abraço

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: