Desemprego é bom.

Emprego infantiliza.

 

O empregado vive a rotina que alguém afirmou que era boa para ele.

 

Acorda todos os dias no horário determinado por alguém, veste a roupa aceita por alguém, faz o trabalho que alguém acha necessário, vai para casa no horário em que alguém o libera, atende o telefone da forma como alguém disse que era o certo.

 

No resto do tempo – se há resto do tempo – ele descansa como alguém disse que era melhor, porque o seu tempo “livre” também tem de ser gasto com atividades bem vistas pelo “pessoal lá da empresa”. E ainda tem o dinheiro. O dinheiro que confere status e satisfaz desejos.

 

Um dia tudo isso acaba. Você acorda e depara-se com uma agenda vazia e pode preenchê-la como achar melhor. Não há mais alguém a quem agradar, horários a cumprir trabalho que alguém disse para fazer. Não há mais dinheiro a garantir conforto.

 

A responsabilidade por preencher a agenda é sua. O tempo é seu. Quanto você vai cobrar por ele?

 

Ficar desempregado é a oportunidade de pensar quanto vale o seu tempo, o seu trabalho. O que paga por ele? Além do pão nosso de cada dia, o que mais você precisa para viver? O que mais é importante para você?

 

Afinal, sem o status que o emprego confere, quem é você? O que você quer fazer pelo resto da sua vida?

 

O trabalho dignifica. O desemprego amadurece.

Anúncios

5 Responses to Desemprego é bom.

  1. Ótimo entendimento. Gostei. Mas posso ficar sem comentar? É porque estou desempregado. 🙂

  2. Robson Araújo disse:

    Uma visão otimista para encarar o desemprego, de fato, muitas vezes ficamos alienados ao que é determinado pela nossa chefia. O importante mesmo é não tornar-se escravo do emprego e nas horas de folga desapegar-se desses vínculos.

  3. Uma grande verdade… O pior de terminarmos por nos anular tanto nessa coisa estratificada como “vida profissional” é o risco de quando isso tudo acabar já nem lembrarmos mais de quem de fato somos… A perspectiva do lado positivo do desemprego é por aí: a abertura para reflexão ou a oportunidade de uma reavaliação para a busca de uma vida mais afinada a nós mesmos. Ao menos é o que acredito.Bjs

    Daniel marinho

  4. Jeff disse:

    Nossa, fiquei espantado com o texto. É muito daquilo que eu comecei a imaginar para explicar essa minha falta de sentido. Gostei muito de ler o blog, pensamentos interessantíssimos aqui!!

  5. camila disse:

    Esse texto foi um remedio pra mim.
    Obrigada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: