Brasília decolando

junho 28, 2009

Já pousei e decolei várias vezes em Brasília e, em todas, não me furto a tentar divisar, pela janela da aeronave, o formato de avião que lhe deu Lucio Costa – mesmo que este preferisse que a cidade tivesse contornos de borboleta. Obviamente, não consigo adivinhar nesta profusão de nuvens e prédios o seu formato original e fico pensando se existiria um ângulo apropriado para isso. Sempre me convenço de que o plano piloto se perdeu e, então, me ponho a imaginar em que prédio, esquina ou cornubação isso teria acontecido. Às vezes sonho que o avião “Brasília” levantou vôo levando o Brasil no bagageiro e ninguém notou quando ou como – em uma provável decolagem não autorizada e sem plano de vôo.


à Houdon

junho 16, 2009

Quero um sono belo

tão belo quanto o Morpheu de Houdon pode proporcionar a um mortal tocando-o com suas papoulas…

Indo embora com suas asas de marmore

Deixando-me a sonhar um sonho de museu francês.


%d blogueiros gostam disto: