Microcontos V

julho 31, 2008

Precavido, pintou uma faixa de segurança no teto branco da sala.


Minha primeira foto 3X4.

julho 20, 2008

É engraçado lembrar de certas coisas.

A primeira foto 3X4 que tirei foi para a carteira de identidade, isso há pouco mais de 10 anos. Nada muito antigo, nada muito recente, o suficiente para dar aquela ternura ao olhar a foto preto e branco e a cara de menina. Morava em Mariópolis-Pr, e tinha toda uma espécie de ritual para fazer a foto. A blusa cuidadosamente escolhida era verde-escura, pois uma cor clara deixaria-me com uma aparência fantasmagórica, aconselharam-me. A menina que nunca foi vaidosa, e continua não o sendo, foi obrigada a fazer um topete no cabelo que foge de secardores e gel até hoje. A irmã foi convocada para fazer o topete a lá Itamar Franco que acabou desabando antes de chegar ao fotógrafo e que, por muito tempo, revoltou-a quando olhava para a foto pensando em quem teve a infeliz idéia. A foto preto e branco era novidade para mim, que já nasci em coloridamente fotografada. E teve, ainda, a espectativa do RG que era espedido em Pato Branco e demorou três meses para chegar. Ao recebê-lo senti-me adulta: identificada e sem cor.


Um recado que fez pensar…

julho 14, 2008

Uma amiga deixou-me um recado pedindo indicações de textos bonitos e finalizou dizendo que estava querendo se apaixonar novamente. Isso me encheu de ternura. Tão bonito alguém disposto a mexer com a própria sensibilidade para ficar mais aberto a experiência do amor. Usar das palavras para evocar sentimentos, inspiração, para entrar em contato com um mundo mais delicado. Apenas relaxar e deixar-se guiar pelo que o outro escreveu para, talvez, mais tarde, deixar-se guiar pela coração.

Saber que existe alguém que pense assim no mundo me devolveu um pouco da fé no humano.


Um dia eu leio…

julho 5, 2008

Viver é acumular palavras para serem lidas em casa.


%d blogueiros gostam disto: