Independentes

 

 

 

Eu gostava de desenhar

 

gatos.

 

Não sei mais desenhar

 

gatos.

 

 

Onde foram parar os

 

gatos

 

inspiradores

 

do passado?

 

 

De tanto

 

tentar

 

apreende-los

 

Eles,

 

os gatos,

 

comeram

 

o meu traço.

15 respostas para Independentes

  1. Muito legal unir o visual com o texto, e ainda com a frase popular.
    Show, Maga!
    Beijão.
    PS:
    Desenhe qualquer gato,
    ainda que cão ou rato.
    Deixe libertado o traço,
    a plural linha no espaço.
    O começo da viagem
    Produz a modelagem.
    E a linha que nada era
    miará em sua janela.

  2. Claudinha disse:

    Gostei dos traços e da imagem poética. As vezes nossos olhos ficam sem ver certas coisas que viam antes. Será que mudaram, ou nós mudamos?
    Beijos querida!

  3. JuJu disse:

    Os gatos não comeram o seu traço, Maga, senão você não teria conseguido “desenhar” esse poema.
    Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

  4. tia disse:

    Mar, muito lindo teu poema. Ligar o visual com o textual, é instigante. Produzindo sensações de (des)continuidade, já vejo o gato passeando pelo telhado.
    bjoka querida
    Tia-dinda

  5. pedrita disse:

    aiiiiiiiii, eu amo poemas de gatos e sensacional. onde forma parar os gatos? a minha está correndo desabaladamente pelo apartamento. bejios, pedrita

  6. meandros disse:

    Esses gatos sempre causam problemas.

    E os desenhos antigos também…

    Abraços!!

  7. Diz aí: é poesia concreta? Com os recursos do computador a tipografia ficou o máximo — indo para o cinza e sumindo. Tenho a certeza de que você sabe desenhar também.

  8. Eu não gosto de gatos… mas seu texto os tornou seres amáveis. Heehhehehe!!!!

    Beijos!

  9. Eu não gosto de gatos… mas seu texto os tornou seres amáveis. Heehhehehe!!!!

    Beijos!

  10. Lady Cronopio disse:

    Gatos rimam com poesia desde tempos imemoriais.
    Seu verso ritmado com o traço é pura arte.
    Beijos e aquela coisa toda.

  11. Djabal disse:

    Todo artista tende a se fundir com o objeto do seu estudo, é uma coisa maluca esse acontecimento. Ele é recorrente, e me lembrou uma história do Glenn Gould. Quando ele foi perguntado sobre o seu maior desejo, respondeu:
    – Transformar-me num piano.
    Ele conseguiu. Você também. Bjs.

  12. Cadinho RoCo disse:

    Se os gatos comeram os seus traços então trate de traça-los outra vez.
    Cadinho RoCo

  13. Suso Lista disse:

    Na nosa pequena vila da Costa da Morte en Galiza, temos unha epidemia de gatos, mais non comen traÇos. Beijos

  14. gabriel disse:

    Nossa, interessantíssimo. Sem contar que, como não bastasse a boa construção, adoro gatos! = )

    Parabéns.
    um bejo e ótima semana!

  15. lindo poema, posso linkar teu blog?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: