Carta a um Coração Partido

Há semanas tenho um corte em meu dedo que não quer sarar. Às vezes ainda sangra e, sempre que encosto em algo, arde e dói. Mas, o pior de tudo é que, sempre que isso acontece, lembro de ti e da tua dor. Da dor que deixei ai contigo.
Foi isso que eu fiz.
Aprendi a ir vivendo e deixando pessoas para trás. Sempre preciso seguir em frente antes que o laço se faça e o nó se ate. Eu sei como é seguir, contudo, nunca soube como é ficar. Não era para ser assim, eu não queria que fosse assim, mas é assim que é. Não estranhe que estas palavras estejam saindo avermelhadas, é que o corte abriu de novo e as gotas de sangue estão se misturando a tinta. Todavia, não posso parar agora; há uma urgência nestas palavras já há muito adiadas. Elas são inevitáveis, como inevitáveis são as minhas partidas.
Sou muito frágil e, por isso, não fico. Já tentei ficar e em pouco tempo só restaram cacos. Precisei me isolar para montar um mosaico com o que restava de mim. Para unir caquinhos foi necessário levantar uma couraça ao redor e é por isso que te pareço insensível.
Repito: sou frágil, muito frágil.
Quero que entendas que não te escrevo um pedido de desculpas. Sei que o que eu fiz não tem perdão. Escrevo-te com a esperança de que possas usar estas palavras como cola caso teu coração tenha se partido quando eu fui embora.
Meu dedo continua doendo, mas ainda prefiro a dor física. Sempre podemos lamber um corte, fazer um curativo, ver a cicatrização, enfim, sempre dá para fazer algo que mantenha a esperança da cura. Entretanto, sentimentos não são palpáveis. Quando machucados nós não vemos os cortes e não há o que fazer. Não há esperança de melhora, por isso esta dor é tão dilacerante.
Espero que me entendas. Não posso fazer mais do que te escrever esta carta e seguir meu triste caminho.
Não aguardo resposta.

About these ads

6 respostas para Carta a um Coração Partido

  1. pedrita disse:

    é difícil lidar com as dores subjetivas. beijos, pedrita

  2. Oi… este eu não podia deixar de comentar. O auto-conhecimento da dor e da própia fragilidade não é no fundo a sua força?

    Beijos…

  3. Diego Viana disse:

    Olá. Obrigado pelo comentário lá naquele velho texto do PLSO… Vim conhecer sua casa e sua linda poesia.
    Um abraço
    Diego

  4. céia musilli disse:

    Maga querida, vc é uma frágil muito forte!!De uma lucidez que emociona…como te entendo, tb deixei por aí Cartas Sem Endereço, lembra? Lamento dizer que elas realmente não tiveram respostas..às vezes não sei o que as pessoas fazem com as emoções, nós pelo menos lambemos os cortes e seguimos em frente!!! Um grande beijo, saudades!

  5. Vanny disse:

    Eu acho vc uma pessoa muito forte,eu tambem sou forte e ja passei por algo parecido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 40 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: